BI-Server, Dicas

Conectar MS Excell ao Pentaho

É possível conectar o MS Excell ao Pentaho de forma que o Excell reconheça os cubos publicados dentro do BI Server e resgate essa informação em manipulação de tabela dinâmica. Para isso basta seguir os passos abaixo :

1 – Baixe o XMLA connect

Trata-se de um provedor de conexões com datasources xmla. O projeto está em beta mas vale a pena dar uma conferida.

PE_05

2 – Configure no BI Server para funcionar como provedor XMLA

Modifique a propriedade “EnableXmla” para true.

3 – Configure a nova conexão no MS Excell

Após a instalação do plugin aparecerá a opção de XMLA Data Source na parte de conexões avançadas, dai em diante é so configurar ip e porta e dados de autenticação.

 

4 – A partir dai é como brincar em tabela dinâmica.

PE_06

Referências

https://sourceforge.net/projects/xmlaconnect/

 

Anúncios
CTools, Dashboards

Pie Chart com valor no centro

1 – Crie um novo dashboard, por questões didáticas usarei um Bootstrap panel na estrutura do painel.

pie_06

2 – Crie a a consulta que alimentara o gráfico. Para exemplificar criei um simples Json, mas qualquer fonte é valida.

pie_04

3 – Adicione o Pie chart e o seguinte código ao seu pre-execution :

pie_03

4 – O resultado deverá ser algo semelhante a este :

pie_05

5 – Be Happy!

 

O fonte desse exemplo pode ser encontrado aqui.

BI-Server, Configuração

Configurando Pentaho como serviço no Ubuntu Server

Uma das configurações interessantes a se fazer apos instalação do Pentaho em um ambiente linux é a configuração do mesmo como um serviço do sistema para que inicie automaticamente ou reiniciar/desligar a maquina e não precisar referenciar todo o path pra iniciar/parar o serviço. Para configurar o Pentaho 5.4 como serviço no Ubuntu basta seguir os passos abaixo:

1 – Crie o arquivo pentaho em /etc/init.d/ (necessário acesso root

em meu caso usei o vim  sudo vim /etc/init.d/pentaho

2 – Adicione as linhas abaixo ao arquivo criado

Edite informações de usuário e local do  servidor se necessário.

#!/bin/sh
### BEGIN INIT INFO
# Provides: start-pentaho stop-pentaho
# Description: Pentaho BA Server
### END INIT INFO

case "$1" in
"start")
su - pentaho -c "/opt/pentaho/biserver-ce/start-pentaho.sh"
;;
"stop")
su - pentaho -c "/opt/pentaho/biserver-ce/start-pentaho.sh"
;; 
*) 
echo "Usage: $0 { start | stop }" 
;; 
esac 
exit 0

 

3 – Edite o ultimo ‘if’ do arquivo start-pentaho.sh

deve ficar similar a este

if [ "$?" = 0 ]; then
  cd "$DIR/tomcat/bin"
  export CATALINA_OPTS="-Xms4096m -Xmx6144m -XX:MaxPermSize=256m -Dsun.rmi.dgc.client.gcInterval=3600000 -Dsun.rmi.dgc.server.gcInterval=3600000"
  env JAVA_HOME=$_PENTAHO_JAVA_HOME sh ./startup.sh
fi

 

3 – Torne o script feito no passo 2 executável 

chmod +x /etc/init.d/pentaho

 

4 – Adcione o script como padrão no update-rc

update-rc.d pentaho defaults

 

Referencias

https://help.pentaho.com/Documentation/5.4/0H0/060/010/000

 

Configuração

Configuração – Instalando JDK/JRE Oracle no Ubuntu Server

Para um melhor aproveitamento do Pentaho é indicado usar o Java da Oracle, sendo assim seguem os passos para configurar um ambiente com JDK JRE redondo pronto para o Pentaho.

1 – Removendo OpenJdk

Caso possua em sua maquina o OpenJdk basta remove-lo com o seguinte comando

sudo apt-get purge openjdk-\*

2 – Baixe os Binarios e coloque na pasta /usr/local/java

Visite o site da Oracle e baixe os binários conforme a arquitetura de seu server(32 ou 64 bits). http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index.html

Criei um diretório em /usr/local/java e coloquei os binários JDK e JRE nele, caso seja de seu interesse mudar este local basta daqui para frente mudar as referencias que farei a esta pasta para a de sua preferencia.

3 – De permissão de execução aos binários e descompacte-os

Para dar permissão de execução aos binários basta rodar os comandos

sudo -s chmod a+x nomedobinario.tar.gz

rode o comando para ambos os binários(Jdk e Jre) e em seguida descompacte-os

sudo -s tar xvzf nomedobinario.tar.gz

4 – Edite o arquivo profile (/etc/profile) referenciando sua versão da JDK e JRE(em meu caso  1.8.0_91)

Adicione as linhas abaixo ao fim de seu arquivo /etc/profile  :

JAVA_HOME=/usr/local/java/jdk1.8.0_91

PATH=$PATH:$HOME/bin:$JAVA_HOME/bin

JRE_HOME=/usr/local/java/jre1.8.0_91

PATH=$PATH:$HOME/bin:$JRE_HOME/bin

export JAVA_HOME

export JRE_HOME

export PATH

se for o caso mude o final para a versão que baixou da jdk/jre.

5 – `Aponte` onde o Oracle JDK/JRE esta instalado

Rode os comandos abaixo(caso tenha escolhido outra pasta para colocar os binários ou outra versão do Java altere antes de roda-los)

sudo update-alternatives –install “/usr/bin/java” “java” “/usr/local/java/jre1.8.0_91/bin/java” 1

sudo update-alternatives –install “/usr/bin/javac” “javac” “/usr/local/java/jdk1.8.0_91/bin/javac” 1

sudo update-alternatives –install “/usr/bin/javaws” “javaws” “/usr/local/java/jre1.8.0_91/bin/javaws” 1

6 – Defina o Java Oracle como padrão

Rode os comandos abaixo(caso tenha escolhido outra pasta para colocar os binários ou outra versão do Java altere antes de roda-los)

sudo update-alternatives –set java /usr/local/java/jre1.8.0_91/bin/java

sudo update-alternatives –set javac /usr/local/java/jdk1.8.0_91/bin/javac

sudo update-alternatives –set javaws /usr/local/java/jre1.8.0_91/bin/javaws

7 – Recarregue o profile 

Rode o comando

. /etc/profile

para testar rode :

java -version

javac -version

o resultado será algo parecido com isso :

Captura de Tela 2016-06-04 às 20.02.14

And Be Happy!

CTools, Dashboards, Pentaho

Customizando mensagens no Table Component

Para customizar mensagens no Table Component do CDE é bem simples, existe uma propriedade language feita exatamente pra isso,

Captura de Tela 2016-05-01 às 18.45.42

dai é bem tranquilo, basta colar a seguinte função

{
“emptyTable” : “Não há revisões para este veículo”,
“zeroRecords”: “Não há revisões para este veículo”,
“sProcessing”: “Processando…”,
“sLengthMenu”: “Mostrar _MENU_ registros”,
“sInfo”: “Mostrando _START_ a _END_ de _TOTAL_ Registros”,
“sInfoEmpty”: “Mostrando 0 a 0 de 0 Registros”,
“sInfoFiltered”: “(Filtrado de _MAX_ Registros)”,
“sInfoPostFix”: “”,
“sSearch”: “Buscar:”,
“sUrl”: “”,
“oPaginate”: {
“sFirst”: “Primero”,
“sPrevious”: “Anterior”,
“sNext”: “Próximo”,
“sLast”: “Último”
},
“aria”: {
“sortAscending”: “: clique para ordener coluna cresc.”,
“sortDescending”: “: clique para ordener coluna decresc.”
}

o resultado fica mais ou menos assim : 

Captura de Tela 2016-05-01 às 18.48.08

and be happy!

Referencia

https://datatables.net/reference/option/language

CTools, Dashboards, Pentaho

Criando um gráfico de ponteiro/velocímetro com CGG dial chart

1 – Crie um novo dashboard, por questões didáticas usarei um Bootstrap panel na estrutura do painel.

Captura de Tela 2016-04-24 às 13.24.20
Layout modelo

2 – Crie a a consulta que alimentara o velocímetro. Para exemplificar criei um simples Json, mas qualquer fonte é valida.

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.07.12
Datasource Json

3 – Crie o “Query Component” que será responsável por receber os parâmetros de seu gráfico(mes, ano, região, etc caso existam), passa-los ao datasource e retornar o valor a uma variavel(Result var). Mude o atributo “Priority” para 1 ou 2 pois a consulta devera ocorrer antes da renderizacao dos outros componentes que receberao o valor da variável ja alterada.

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.43.30
Query Component – Atenção ao ‘Priority’

4 – Crie um parâmetro simples com o nome da variável resultante criada no “Query Component” e atribua o “Property Value” para ‘value’.

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.47.30.png

5 – Crie o CGG Dial Chart, configure tamanho, array de corres e intervalos a seu gosto e faca-o receber e ‘escultar’  o parâmetro que criamos(‘valor’). O CGG so deve escutar estes valores pois os outros parâmetros ja são passados no ‘Query Component’.

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.11.34

6 – Caso queira alterar o tamanho da fonte de valores basta inserir uma função jQuery no ‘Post Execution’.

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.22.28

7 – O resultado devera ser algo semelhante a este

Captura de Tela 2016-04-24 às 14.35.54
Resultado final

8 – Be Happy!

BI-Server

Configurando um ambiente Dev Pentaho com Docker

docker+pentaho

No nosso mundo de desenvolvimento um dos grandes problemas é a replicação do ambiente de produção em nosso ambiente dev ocupando  o mínimo dos nossos preciosíssimos recursos, pra sanar esse problema temos como opções  o virtualbox, vmware, vagrant etc… Nessa jogada entra o Docker com a vantagem de ser construida em cima de LXC isolando os recursos que serão utilizados em containers, por que subir um Guest OS inteiro só pra usufruir de um único recurso? Bem não vou adentrar muito nesse assunto até porquê meu amigo Wellington Silva já tem um material excelente falando do assunto que vou disponibilizar no fim deste post. Sem mais delongas vamos a obra :

Instalando o docker
O docker já está disponível nos repositórios do Ubuntu, para instalar basta digitar

sudo apt-get install docker.io

caso use Linux Mint assim como eu é preciso instalar primeiro os pacotes abaixo :

sudo apt-get install apparmor lxc cgroup-lite

instalando o Container Pentaho 5.3

Com o docker já devidamente instalado basta rodar :

sudo docker pull bytekast/docker-pentaho-ce-5.3

para iniciar o servidor linux e aplicação do biserver basta digitar :

docker run -d -p 2222:22 -p 8888:8080 -e AUTHORIZED_KEYS=”`cat ~/.ssh/id_rsa.pub`” bytekast/docker-pentaho-ce-5.3:latest

e pronto ! Com esses passos temos nosso container rodando a aplicação isolada para testes.

para mais informações acesse a documentação do container pentaho :

https://registry.hub.docker.com/u/bytekast/docker-pentaho-ce-5.3/

e como havia comentado segue a página do Welington Silva :

http://dumpscerebrais.com.br/2015/03/docker-do-basico-a-orquestracao-e-clusterizacao-introducao.html